quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Lucro da Vale cai 18,3% no trimestre, mas dará 3 vezes mais dividendo em 2011 que em 2010



Divulgação dos resultados:

Na noite do dia 26/10/2011, a Vale (BOV:VALE5, BOV:VALE3), anuncio os seus resultados do 3º trimestre de 2011, no comunicado ela enfatizou "uma postura mais voltada para o retorno do excesso de caixa aos acionistas" com o crescimento de 3 vezes na distribuição de dividendos, num total de US$ 9,0 bilhões (R$ 15,8 bilhões) ela também fez referência aos programas de recompra de ações num total de US$ 3,0 bilhões até 25 de novembro de 2011.

Lucro cai 18,3%:

No mesmo comunicado a vale demonstra que o lucro líquido caiu 18,3% no terceiro trimestre e que no padrão  IFRS caiu 25,2%.

Comunicado enviado:
Segue o comunicado enviado pela VALE.

"Vale S.A. (Vale) anuncia outro trimestre com resultados recordes, refletindo excelente desempenho operacional e financeiro. A produção de minério de ferro, pelotas, cobre e carvão térmico alcançou recordes históricos, assim como a receita operacional, o lucro operacional e a geração de caixa.

A geração de caixa, fundamental para a criação de valor, atingiu marca recorde de US$ 9,6 bilhões no trimestre e US$ 36,7 bilhões nos últimos 12 meses, ao passo que o lucro contábil sofreu impacto não caixa de US$ 2,9 bilhões associado à desvalorização do real, nossa moeda funcional, em relação ao dólar norte-americano . Apesar da magnitude desse efeito não caixa, o lucro líquido atingiu US$ 4,9 bilhões, o que se constitui em resultado bastante robusto.

Em meio a um ambiente de alta volatilidade dos preços dos ativos financeiros, que tem penalizado os acionistas, uma vez que uma recessão global foi precificada em nossas ações, a Vale continua criando valor. A geração de valor é fruto do crescimento de receita e da obtenção de altos retornos sobre o capital investido a taxas bem acima do custo de capital.

Novas plataformas de criação de valor foram entregues ao longo dos últimos trimestres: Bayóvar, Tres Valles, Onça Puma, Omã, Moatize I, Estreito e Karebbe. Como estes projetos estão em fase de início de produção e/ou em processo de ramp-up, o efeito pleno de sua operação sobre a receita e do fluxo de caixa só se materializará no futuro.

Na busca da melhoria contínua da alocação de capital, fundamental para a maximização de valor, temos desenvolvido várias iniciativas com vistas ao aprimoramento do desenvolvimento de projetos no sentido de viabilizar a maximização de seus retornos para os acionistas, compreendendo desde o licenciamento ambiental até a transição para a fase operacional.

Ao mesmo tempo, passamos a adotar uma postura mais voltada para o retorno do excesso de caixa aos acionistas.

A remuneração aos acionistas em 2011 alcançará US$ 9,0 bilhões, uma cifra recorde, igual a três vezes o que foi pago no ano passado, o que implica em elevado dividend yield, recompensando, assim, os investidores que tem sofrido os efeitos de um fraco desempenho dos mercados de ações.

Simultaneamente ao retorno de caixa via dividendos, está em curso um programa de recompra de ações de até US$ 3,0 bilhões até 25 de novembro de 2011, dos quais US$ 2,0 bilhões foram executados no 3T11 (terceiro trimestre de 2011).

Apesar do pessimismo sobre a macroeconomia nos mercados financeiros, permanecemos confiantes nos fundamentos de longo prazo dos mercados globais de minerais e metais e em nossa capacidade de continuar a gerar valor através dos ciclos de negócios."

Fontes:
Notícia IG: http://economia.ig.com.br/empresas/lucro-da-vale-cai-183-no-trimestre/n1597326754426.html
RI (Relação com investidores): http://www.vale.com/pt-br/investidores/Paginas/default.aspx
Demonstrativo em PDF: http://www.vale.com/pt-br/investidores/press-releases/Documents/vale_brgaap_3t11p.pdf
Demonstrativo em XLS: http://www.vale.com/pt-br/investidores/press-releases/Documents/tabelas_rp_3T11p.xls